quinta-feira, 18 de junho de 2009

The end


Adeus tristeza - Fernando Tordo
.

Epilogo que me cheira que não é prologo de coisa nenhuma:

-Mas porque é que não me disseste?
-…
-Quantas coisas mais tens escondidas de mim?
-…
Está desfeito o mistério das sortidas nocturnas de um Deolindo remetido ao silêncio arcando com a culpa da vil traição da confiança da Docelinda generosa que tudo partilhava com quem afinal não a merecia.

Sem querer tomar partido aqui o condeno à privação de um dia irem pelos campos colherem uma flor. Bem feito!

Adeus Deolindo, adeus Docelinda, gostei muito de vos conhecer.

*

==================* *==================

Na minha vida tive palmas e fracassos
Fui amargura feita notas e compassos
Aconteceu-me estar no palco atrás do pano
Tive a promessa de um contrato por um ano
A entrevista que era boa
E o meu futuro foi aquilo que se viu

Na minha vida tive beijos e empurrões
Esqueci a fome num banquete de ilusões
Não entendi a maior parte dos amores
Só percebi que alguns deixaram muitas dores
Fiz as cantigas que afinal ninguém ouviu
E o meu futuro foi aquilo que se viu

[Refrão:]
Adeus tristeza, até depois
Chamo-te triste por sentir que entre os dois
Não há mais nada pra fazer ou conversar
Chegou a hora de acabar

Na minha vida fiz viagens de ida e volta
Cantei de tudo por ser um cantor à solta
Devagarinho num couplé pra começar
Com muita força no refrão que é popular
Mas outra vez a triste sorte não sorriu
E o meu futuro foi aquilo que se viu

[Refrão]
Na minha vida fui sempre um outro qualquer
Era tão fácil, bastava apenas escolher
Escolher-me a mim, pensei que isso era vaidade
Mas já passou, não sou melhor mas sou verdade
Não ando cá para sofrer mas para viver
E o meu futuro há-de ser o que eu quiser


2 comentários:

trek disse...

NEM A PROPÓSITO

e a propósito de MARCOS"ANA"

O AMOR É MUITO MAIS FORTE QUE A UNJUSTIÇA. MESMO QUANDO O MOTIVO DA INJUSTIÇA É SEMPRE UM DOS DOIS.

"...DA PRÓXIMA VEZ QUE APANHAREM UM(A) PASPALHA(O) QUE FUJA DO QUE TÊM PARA LHE DAR,OFEREÇAM-LHE UMA ÚLTIMA COISA: O LIVRO DE MARCOS ANA-"Digam-me como É Uma Árvore. TALVEZ OS QUE SOFREM DESSA INCAPACIDADE QUE É NÃO SABER AMAR DESCUBRAM A LIBERTAÇÃO."

Oh God, make me good,but not yet!


in,NS,o sexo e a Cidália.

Erecteu disse...

Trek,
Fica a receita e um obrigado.
A razão pela qual o recomendas leva-me a desejar, naturalmente, um insussesso editorialmas felizmente que a realidade não se conforma com fantasias.

The shining truth blinds
in, nomatterswhere.com