quarta-feira, 15 de novembro de 2006

Dia_positivo 3



Aberta a porta, para a direita, Maria que antes se benzera, preocupou-se em entrar com o pé direito, no mundo que se lhe oferecia.
Á sua frente uma escada como a que leva aos céus; íngreme e estreita por onde poucos passam, estranhamente curta; escasso cobertor, focinho burilado, espelho avantajado; alva de seu pinho, textura profundamente marcada de tanta lixívia. Mão no joelho para facilitar a escalada, ainda a meio não ía e já Nereu furava direito às portas que lá no alto: a da frente cerrada, a da direita oferecida. –à tição, tanta pressa pra quê?, ele zut, arrancou a quatro por ali acima, em sons indescritíveis, direcção à luz que o puxava, mais que buraco negro do céu. Ao assomar do patim, lá de dentro vinha –Oh anda, como que se aflito estivesse, o “vó anda” repetia-se reforçado pelo batuque no soalho a dois pé; espreitou semiofegante, a cozinha –Pára, olh’á viziINHA! em troca recebeu a precipitada investida de um abraço pela cintura. -como lhe sabia bem aquele rostinho quente, no ventre!
Para ali ficaram em balanço suave; Maria descendo os olhos da lâmpada que baloiçava para aquele espaço, ainda, estranho: fogão na chaminé, louceiro de portas de vidro! mesa pintada de azul ou verde-turqueza, plantada quase a meio, janela dependurada na parede do fundo como se um quadro fosse; Não vira tudo e já começava a mudar o sítio às coisas, olhos quase brilhantes. Ereneu, esse, já ía em tropel direito ao quarto do fundo, sem ligar à porta no pequeno corredor, talvez por sombrio que era. Foi lá ter, a satisfação arrepanhou-lhe o coração, agora sim brilhavam mesmo; cama de sobra pra dois, guarda-fatos, cadeira e até mesinha com duas gavetitas! ali era fácil: é só arredar a cama pr’á parede. –Debruçado, de barriga colada, na pequena janela, sentenciou: Parece um avião! –tem cuidado, filho, vou buscar o resto das coisas.

Assim desceu para subir ao céu mais duas vezes, só naquela manhã.

11 comentários:

Maria disse...

Fico ansiosamente à espera do Dia_positivo 4 ^-^


----------------*

"Afinal quem é o stacker?
Como é que podes afirmar, in ABcity, que um comentário anónimo é meu?"

Eu sei tudo, vejo tudo e sinto tudo. Spooky, não?

Agora a sério, eu reconheço o cheiro da tua escrita a léguas de distância. Sou muito boa nisso ^-^ Acho que a stalker afinal sou eu, e não tu.

beijinhos da stalker cookie

rui disse...

Olá Erecteu

Vais muito bem, estou a saborear aos poucos o que te vai passando pela cabeça.
Afinal, não há pressa. Escrever é como fazer amor, não devemos ter pressa em chegar ao fim...;))LOL

Um abraço

maria_arvore disse...

Ah caramba que fiquei a saber que o céu se constrói onde podemos " mudar o sítio às coisas" e nesse à vontade de sermos quem somos tudo brilha como a "janela dependurada na parede do fundo como se um quadro fosse".

E há qualquer coisa nesta história de mulheres que me recorda o "Volver" e me faz voltar para ler a continuação.

Erecteu disse...

Obrigado a todos.
Até um dia

Maria disse...

Até um dia?

.
.
.
.
.
.
.

cleopatra disse...

" fogão na chaminé, louceiro de portas de vidro! mesa pintada de azul ou verde-turqueza, plantada quase a meio, janela dependurada na parede do fundo como se um quadro fosse"
Olá, bom dia!
Estás a ver esse pedacinho que escolhi do teu texto?
... traz-me imensas coisas da minha infancia á lembrança!
Adorei o teu texto, pela simplicidade e diferença.

Um beijo soprado

Enfim... disse...

bigado pela visita, vim retribuir lol.Bjokas

mfc disse...

Escrever é como uma boa conversa connosco, para a qual os outros são convidados.
És um óptimo conversador.

Erecteu disse...

Bom já paguei.
Foda-se!!!
Um gajo não pode deixar a loja um bocadinho e aproveitam-se logo. Entraram-me por aqui adentro, vá lá que limparam os pés e puseram vaselina.

Os velhos amigos sentem-se enquanto atendo umas kuskasnovas; não não vieram do leste são daqui mesm'ó lado acalmem-se.

Cleo,
Temos todos a memória da nossa cultura. "Sêmos" todos irmãos afinal, logo... não inventamos nada de novo.
um beijinho central, se o nariz não impedir. (e tu não rejeitares)

Enfim,
Obrigado pela cortesia, em fim, volta sempre.

mfc
És melhor que sargenor, REVIGORANTE.
Abração quase velho companheiro.

Desculpem que agora vou ver os maneis e as minhas marias.
Estou com saudades de todos. (Há 15horas que os não vejo)

Maria disse...

Essa do "até um dia" foi para assustar a gente? Eu já estava a fazer grandes filmes... A imaginar-te a fazer as malas e a partir para uma ilha sem computadores. Nunca mais desapareças assim.

beijos para o meu fofinho

Erecteu disse...

Maria,
Deste lado há dias e dias.
Apetecia-me desaparir.
Não foi preciso muito para querer voltar.
Bastou ficar impossibilitado pelo bloqueio da porra do sapo para perceber que afinal não queria o que queria.
Complicado, não é?
Vou tentar aprender que há coisas que nem nos blogs se podem fazer. Até porque nem pensava que no ambiguo até... pudesse ser lido o que em mim ía.
Até sempre presente.
Beijinhos.