sexta-feira, 2 de fevereiro de 2007

O Guelas - Voos

O Zeca passou uma semana a fazer cópias no intervalo. Ainda lhe faltavam duas mas a soussora, deixou-o ir ao intervalo da tarde. Ele prometeu que fazia as cópias em casa mais os trabalhos que temos; são só contas! Será que se esqueceu de marcar a cópia?
Nunca tínhamos tido um intervalo tão grande. O Zeca foi para a oliveira grande e por lá ficou. Depois os meninos começaram a juntar-se à roda dele e do passarinho, do Bico como ele lhe chama. Não queríamos acreditar. O Bico já quer voar! Ele pô-lo num ramo e o Bico começou a piar, depois saltou para o Zeca a bater aflito as asinhas, o Zeca apanhou-o no ar e disse: -Pá semana já voas maganão. Todos queriam agarrar no Bico, o Zeca deixou todos os que quiseram mas estava sempre –Não o apertes.
A professora veio ter connosco, despenteou o Zeca e disse-lhe: Parabéns Zeca e ele, -Oh. Ficou que parecia um tomate. Foi a primeira vez que a ouvi chamar-lhe assim.

*
**

Ainda hoje o Bico é a alegria da escola; juntou-se ao bando de pardais mas não esqueceu a mãe Zeca. Vive na oliveira grande mas mal vê o Zeca voa para ele. Sabe que tem sempre um miminho. O miúdo trás com ele bicharada que me metia nojo, por sinal, já não me fazem nenhuma impressão, as larvas de varejeira.
Aprendi a diferença entre o ser malcriado e talvez, o ser mal-educado. Rebelde como tudo, não, arisco, arisco é que é, explode à primeira. Tem um sentido de justiça exacerbado que o leva a meter-se constantemente em confusões. O que lhe reservará o futuro, nas condições em que vive? Esperto e esforçado, tem superado as insuficiências que trazia, a ponto de estar entre os melhores alunos. Dá muitos menos erros, lê maravilhosamente, interessa-se pela história como ainda não tinha visto. Vejo-me aflita para dar conta dele, dada a rapidez com que resolve os problemas. O fraco dele é a geografia. –Para que quero eu saber essa coisa dos rios e das serras? –Para seres mais culto.

Oh, cultura não enche a barriga lá no monti.
Que lhe faço?

9 comentários:

PENSAMENTOS E SENTIMENTOS disse...

ola fico feliz por apreciar meu comentario sobre o post se referindo ao aborto.
seja bem vindo e me visite quando quiser, sera um prazer... beijos

sem-comentarios disse...

A cultura não ocupa lugar!
O Zeca fez um optimo trabalho com o passarinho :)
Rebelde,mas de bons sentimentos.

Como a maioria dos alentejanos :))

BFS**

Maria disse...

"Tem um sentido de justiça exacerbado que o leva a meter-se constantemente em confusões."

O Zeca vai ser advogado, um advogado dos bons (como o meu X).

Nanny disse...

Bem me quis parecer, de outros textos, que esta tua professora não era nada má e gostava do Zeca...
da outra vez desarmou-a, mas agora bem que se mostra conquistada pelo pequeno arisco e esperto.

Fico à espera da continuação.

Beijinho da gata

Bad disse...

adoro estas historias loll

eu tenho esse livroooo
é demais!

rui disse...

Amigo Erecteu

Mais uma viagem fabulosa pelos labirintos da imaginação, pigmentada com saudosas recordações.

Bom domingo.

Um abração amigo

maria_arvore disse...

Se o Zeca continuar com um sentido de justiça exacerbado, vai ter mais complicações pela vida fora. Mas que importa se é tão sensível e humano?... ;)

Fausta Paixão disse...

com que então, Zequinha, tinhas um Bico!
e... já não tens???
;)

Abssinto disse...

O Zeca lembra o Grunho quando era menino, sempre a acudir pelos mais fracos. O tal sentimento e justiça...

;)

Abraço