quarta-feira, 23 de maio de 2007




a propósito de
fui, fui, e aqui cheguei:
Sempre gostei de misturas, o pior é quando não se consegue conciliar no mesmo momento, o que gostamos. É verdade que a indecisão é sinal de que há por onde escolher.
Por exemplo: entre um bom livro e uma mulher boa, com’é?
Entre livros e mulheres... não sei, uhm... Para valer a pena é necessária muita concentração. Quase tanta como exige o comer uma navalheira, que dá cá um gozo chupar-lhe as perninhas, folhear o corpinho! Mas dão uma trabalhêra! Bem, de comum, faça-se justiça, livros e mulheres, marcham bem com um tinto, uma aguardente velha até. Engraçado, já a navalheira pede antes uma cerveja geladinha, ou duas! Bem, não interessa a navalheira não vem ao caso, por agora.

As palavras são boas, enriquecem o espírito, prontos.
Uhm... e elas! também; apaziguam o corpo e por via disso a alma. Com’é então? Já tentei pô-las a ler em voz alta, mas aquilo é como misturar farinha com água, acaba sempre por fazer gorgulhos.
Os livros não têm pernas, esperam por nós, mas se elas as têm para se porem a andar, também terão para voltar, né?
Confesso que já tentei também a formula: dois bons livros e uma mulher boa, mas qual quê, não resulta. A páginas tantas, não interessa quem:
-Ouve isto, que giro.
Tá o caldo entornado. Páginas tantas estamos os dois no mesmo sofá e os livros: um mais amarrotado que a minha camisa e o outro desencapado como ela.
Está visto. O que não tem solução, está solucionado. Vou comer uma navalheira, beber uma cervejinha bem gelada, ou duas. Até já.

9 comentários:

psique disse...

bom apetite ;)

vague disse...

"Entre um bom livro e uma mulher boa"

e pq não "Entre um bom livro e uma boa mulher"? , hum? bamulá, o q é q conta para si? ;)

Fausta Paixão disse...

pois meu caro amigo, eu deixo os livros para gosta de folhear (ihih) e transfiro a comparação para o homem e o cachimbo - lá pipe! - que são coisas comparáveis em toda a sua pujança.
quer dizer... não sei avaliar a pujança do cachimbo e como ele ali não passa da representação do dito... prefiro o HOMEM!

estou mesmo uma filósofa!!!

maria_arvore disse...

:)))

Tal com dizes, concordo que quando não temos solução para um problema, o problema não é nosso. ;))

E com tanto mundo à nossa espera, quem sabe se além da navalheira não se encontra uma história na praia e o mar no corpo de uma mulher?... ;)Sejamos os descobridores! :)))

Erecteu disse...

Psique,
Sou um devoradoe nato, de livros, claro ;)

Bjs
-----
Vague,
E porque não, já agora, "entre um livro bom e uma boa mulher" ? Né?

De facto a ordem é cinicamente arbitrária ;)

Indo aos finalmentes: o que conta para mim é teres passado por cá e teres ido ao ponto... rebuçado :)

Volta sempre que isto sem ti não tem piada nenhuma :)

Bjs

-----
Paixão minha,

Não deixas cair uma no chão :)

Bjs

Erecteu disse...

Maria,
Mar e mulher ligam bem. Temo que a realidade abafe a fantasia ;)
Bjs.

mariazinha disse...

"Páginas tantas estamos os dois no mesmo sofá e os livros: um mais amarrotado que a minha camisa e o outro desencapado como ela."

É só vantagens ler livros...
:))

*

Erecteu disse...

Litlemary,
Adaptando: O que lemos ou fazemos é sempre de menos.

Bjs

diefe disse...

Não esquecendo porém que há "pipes" e "pipes"...:)
(Anda tudo a mudar "a paisagem de fundo"...)