domingo, 14 de setembro de 2008

Truncado

(...) Quando eu morrer e for chegando ao cemitério, Acima da rampa,
Mandem um coveiro sério
Verificar, campa por campa
(Mas é batendo devagarinho
Só três pancadas em cada tampa,
E um só coveiro seguro chega),
Se os mortos têm licor de ausência
(Como nas pipas de uma adega
Se bate o tampo, a ver o vinho):
Se os mortos têm licor de ausência
Para bebermos de cova a cova,
Naturalmente, como quem prova
Da lavra da própria paciência. (...)
Vitorino Nemésio

Outro Testamento (poema complet0 )


Save Me.wma - Aimee Mann

You look like a perfect fit
For a girl in need of a tourniquet

But can you save me
Come on and save me
If you could save me
From the ranks of the freaks
Who suspect they could never love anyone

'Cause I can tell
You know what it's like
The long farewell of the hunger strike

But can you save me
Come on and save me
If you could save me
From the ranks of the freaks
Who suspect they could never love anyone

You struck me dumb like radium
Like Peter Pan or Superman

You will come to save me
C'mon and save me
If you could save me
From the ranks of the freaks
Who suspect they could never love anyone
'Cept the freaks
Who suspect they could never love anyone
But the freaks
Who suspect they could never love anyone

C'mon and save me
Why don't you save me
If you could save me
From the ranks of the freaks
Who suspect they could never love anyone

Except the freaks
Who suspect they could never love anyone
Except the freaks who could never love anyone

2 comentários:

maria_arvore disse...

Com todo o respeito pelo Vitorino que admiro como pessoa e homem de cultura mais do que provarmos-nos uns aos outros após a morte convém ir com a embalagem de se embebedar em vida. :) É que quem nos salva prega-nos sempre uma bebedeira. ;)

Erecteu disse...

De acordo. Tenhamos saúde e que o mafarrico não nos apanhe desprevenidos para podermos deixar as botelhas todinhas escancaradas.