segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Saúde.


Congratulo-me com a medida, todas as que sejam tomadas para colmatar a carência da prestação dos cuidados de saúde constitucionalmente prestados,

[Artigo 64.º(Saúde)1. Todos têm direito à protecção da saúde e o dever de a defender e promover.2. O direito à protecção da saúde é realizado:a) Através de um serviço nacional de saúde universal e geral e, tendo em conta as condições económicas e sociais dos cidadãos, tendencialmente gratuito]

são bem vindas.

Interrogo-me: não temos capacidade para formar mais médicos, ou não temos candidatos à altura das exigências das faculdades de medicina com perfil?

É sabido que muitas famílias recorrem a Espanha para que os seus filhotes, excluídos do ensino médico em Portugal, realizem os seus anseios; por outro lado o nosso sistema de ensino investe em cursos que, sabemos de antemão, não terão saída.

Ah, como eu gostaria de compreender coisas aparentemente tão simples.



Saúde (ao vivo) - Pedro Mariano

1 comentário:

maria_arvore disse...

Uma faculdade de medicina dá muita despesa e nenhum lucro e o ensino privado não lhe pega.
E depois obra feita é um TGV, um novo aeroporto, coisas assim grandes para apresentar na campanha e retribuir aos patrocinadores da mesma.
E desviar dinheiro disto para umas duas faculdades de medicina quando a Lurdinhas consegue estrondosos números de sucesso na educação era um desperdício. ;)