domingo, 16 de março de 2008

A pont-a-pé

Dizem uns que a culpa é da parteira, alcoólica inveterada, ter-me-á lançado tal bafo à nascença que fiquei para sempre assim. Dizem outros que não, assim sou porque Deus assim quis. Está bem pronto, por uma ou pela outra razão, por uma terceira talvez até, o certo é que vivo atarantado sem saber se hei-de cagar ou ir dar corda ao relógio.

Vou-me no entanto orientando pela sensatez desta ou daquele, como a Marie-Baum ou a Hipatia-Gaivina (que ainda hoje os meus neurónios confundem) orientando-me dizia eu, quando mesmo assim não me confundem elas mesmas, isto a propósito de se insurgirem contra a possível proibição de piercings e tatuagens!

Sendo umas pombinhas porreiras, não escapam à fiabilidade da natureza humana pelo que, neste caso, deram passo mais longo que a perna que as levou a uma “espargata” monumental da qual dificilmente sairão. Correm o risco de ficarem com os glúteos –que eu efabulo de apetecíveis- colados ao chão por tempo gerúndio ou continuado.

Não vêem aquelas alminhas que o Sr Zé vela pelo bem nosso? Não lhes entra na cabecinha, por qualquer parte dos corpinhos, que o seu mau feitio de calvinistas contestárias, em desacerto com a ordem luterana, não lhes traz outra felicidade senão o gozo efémero do trautear de um estafado cântico negro, regiano?

O sô Zé nã diz basta de piercings onde nervo, musculo ou zona herógena pulule, por capricho ou necessidade de afirmação de poder. Não porá cobro a grafittis corporais por fúteis razões ou discordância do seu valor estético. Os considerandos que suportam a futura limitação, do liberal uso dos nossos corpos, estão enunciados:
PRESERVAR A SAÚDE e ponto, não final.

Reconsiderem, afinal, que pelo meio de: défices orçamentais, juros, recessões, desempregos, desacelerações da economia, alkaedas e doutas indignações na rua, se o nosso querido e estimado líder, camarada Zé concede a sua atenção ao arame na língua e à tinta da china na pele, é porque elevadas razões, ainda que ininteligíveis para nós, se agigantam.
Abençoado povo que tem o condutor que merece.


Bom o tempo ruge e já vai longo, é altura de fazer a trouxa e zarpar, mas deixem que antes vos diga que me contorço de gozo ao imaginar a vossa cara quando souberem que a maratona de hoje é a ultima. Se nunca a fizeram... paciência, perderam a vossa oportunidade pois razões de saúde -e de estado- a partir de agora correr só será permitido a profissionais.
Porquê?
Porque a cada passada as articulações ficam sujeitas a esforços inimagináveis. Sabem quantas tendinites, contusões na coluna, e rotulas terão ido para o caralho quando tiver terminado a corrida? Não sabem, né? Bué delas.
Nunca tinham pensado nisso, né?

E quem paga o concerto disso tudo? Ah pois! O Serviço, gratuito, Nacional de Saúde. Certo?

3 comentários:

maria_arvore disse...

:))))

Pois ainda hoje tenho pena que os meus paizinhos não me tenham chamado Mafalda como a Contestária do Quino. E é por isso que quero que o SôZé pegue nos impostos que pagamos para manter o SNS em vez de indicar onde vai fechar alguma coisa para lá se abrir um clínica privada. É que se ele quer poupar dinheiro ao SNS com todos nós, nomeadamente com as hipertensões e AVC's, tem um remédio mais prático: demita-se! ;)))

Hipatia disse...

Eu preferia saber por qual círculo eleitoral foi eleita aquela alminha preocupada para depois ver se não havia mais nada que propusesse à AR. E, vamos, desta o SôZé não tem culpa. Pelo menos ainda não tem culpa ;-)

Erecteu disse...

Maria-contesta(ria).
Não te chamou o teu pai mas chamo-te eu ;) e se tivesse perrogativas armava-te cavaleira, paladina da Ordem da Boca Sometapa-quenquero :)))
Bjões

-----
Hipatia,
Também me parece que o Zé nao vai nessa, mas como o dito higienista nem para correr serve... entrou o Zé a martelo :(
Bjs