domingo, 24 de junho de 2007

Empoleirado olho a rua deserta na frescura da manhã, esperando que venhas. O prédio em frente todo ele dorme, sei que virás.
O tempo passa e com ele vai passando devagar um carro ainda com as luzes acesas, aposto que vai em frente mas afinal vira à direita, outro virá. Lá vem um preto em passo aparentemente apressado, metendo a fralda para dentro, abranda e acaba por parar nas montras daquela loja, a minha loja preferida que se esconde debaixo das arcadas que só me deixam ver-lhe um pouquinho dela. Chamo-o: Hei, psst. Olha, para todo o lado e desiste, de novo: Hei, psst, de novo olha. Hei, psst , hei! agora olha na minha direcção. Aceno-lhe e ele ri branco no meio do negro e afasta-se. Hei, psst., hei, psst. Já não me liga, fica o tempo a passar.
Assomarás por aquela esquina montado na bicicleta, depois descerei pela mão da minha avó e então iremos, já não sei para onde, para a praia talvez.

11 comentários:

Maria disse...

Olá meu querido... vi o teu comment... Pois é, já faz um ano que tenho o blog. E tu estavas lá ^-^ Um dos meus primeiros amigos, meu treinador de bancada, meu stalker de capote e tanga, meu confidente <3


Passei por aqui para te deixar um abraço e muitos beijinhos repenicados.

zetrolha disse...

Está vento na praia...venho de lá agora!

Erecteu disse...

Maria,
Teu mais que tudo ;)
Bjs.

-----

Bons ventos, volta sempre.

Nanny disse...

Podíamos sempre ir ao pinhal, fazer um picnic e apanhar pinhas para a lareira...

Beijinhos, rapaz

Elipse disse...

... e depois faltou o tempo, para lhe dizeres o tanto que ainda ficou por dizer e que não dava jeito, raio de sentimentos estes, mais a contenção que nos ensinam e nos castra a naturalidade.

empoleirado nas memórias dir-lhe-ás sempre o amor, como lho dizias no toque das mãos dadas a caminho ... da praia.

escreve agora, depois das lágrimas. escreve mais. nós ficaremos aqui a ouvir as flautas até te sentires melhor.

Filipe disse...

comovente.

maria_arvore disse...

Não são as nossas memórias que reviram as ampulhetas do tempo e as fazem começar de novo?:))
Beijo

Nina disse...

gosto sobretudo da imagem!!!
às vezes é mm o k este mundo parece...uma verdadeira ampulheta!!!
lol..(ate tava p fazer uma piada..mas soou-me muito estupida depois de escrita!)

lol..
beijoca*

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

beijinhos e bom fim de semana

luasdeagua disse...

Simplesmente comovente!

Pareces tão frágil!

As tuas palavras soam como seda ao toque,como a ponta dos teus dedos macios.

Gostava tanto de poder ajudar.

bjinhos

Ema disse...

Erecteu,

pareces um homem tão sensível e tens a sorte, ou o dom, de nos fazer sentir a tua dor e a saudade.

É tão estranha esta vida. E nós somos tão complicados que escondemos dos outros o que sentimos e temos medo de gritar as tristezas e as alegrias.

Somos tão comedidos nos afectos que deixamos escapar as oportunidades de sermos felizes! Por vezes basta uma palavra, um gesto, um sorriso para que não nos venhamos a arrepender de,como dizia o poeta," remorsos de não ter sido"

fica bem