quarta-feira, 20 de junho de 2007

Chegam de repente, sem avisar, as notícias:
Está a querer ir embora.
O tempo pára, rola ao contrário, desenrolam-se imagens difusas, sorrisos, olhares, gestos, carícias.
Voo ao seu encontro, afinal ainda está. Perscruto-lhe os olhos, é mentira, ainda quer ficar. Vai ficar, vai ficar, vai ficar.
Desculpem, vou ali só dar-lhe a mão, devolver-lhe mil carícias e ternuras.
Quando voltar eu aviso.


5 comentários:

Nanny disse...

Vai...

Vai ficar, vais ver...

:)*

Fuser disse...

Aqui faço meu último comentário:
O Outono vem se despedir de você e agradecer-lhe pela companhia durante os últimos meses. Foi um prazer receber-te...mas amanhã o Outono chega ao fim, aqui no hemisfério sul.

um grande abraço

fuser

maria_arvore disse...

Erecteu,
não percas a oportunidade de dar a mão e as carícias que na volta te esperamos.:) Nós podemos esperar. :)

Erecteu disse...

Nanny,
Ficará sempre de qualquer maneira.
Bjo grande.

-----
Fuser,
Caídas as folhas vida nova.
Força

-----
Maria,
Mas eu não. Sou um ansioso compulsivo.

Elipse disse...

... ficará sempre.

e não te esqueças de chorar, se precisares.