terça-feira, 27 de março de 2007

Sócrates o maior deste curto século

Bonito serviço! O serviço público prestado pela RTP -Rádio Televisão PORTUGUESA- vincadamente referido como um jogo, uma brincadeira, dignifica quem e o quê?

Independentemente do estímulo de que possa servir o resultado desta dita brincadeira, para uma franja saudosista e veneradora de um ditador, servirá também de aviso à navegação dos políticos responsáveis pelo descrédito do regime democrático.

Lamento dizer, mas o assalto ao poder através de programas eleitorais não implementados, é tão infame como um golpe militar, talvez ainda mais, porque é torpe.

Reconhecer que não se está a cumprir o programa eleitoral por antecipadamente se desconhecer o estado da Nação é revelador de falta de capacidade para governar. No mínimo, nesta situação, o vencedor deveria preparar de imediato um novo sufrágio remetendo-se a GOVERNO DE TRANSIÇÃO, anunciando a verdadeira situação do país e as medidas necessárias para a resolver.

Sei que sou ingénuo, lorpa até, mas é isto que penso.

8 comentários:

Elipse disse...

"alapar-se" ao poder... seja em que situação for... há-de dar os seus frutos. veja-se o exemplo do saudosismo a que te referes. Bahh que náusea!
Não importa conhecer o universo de pessoas que vê televisão, sabendo nós que se trata da terceira idade entristecidamente votada ao sofá e de uns quantos(as) acríticos(as) que gastam o crédito telefónico em concursos, votações e afins.

gostava de não ser portuguesa, nada me liga a este antro onde grassa a anormalidade, mas não saberia optar, pois não sou capsz de defender que cá dentro é tudo mau e lá fora é tudo bom.mas imagino com que cara os outros nos olham... depois de saberem que "elegemos" o grande ditador como o preferido... certamente sorriem complacentemente...

socráticos à força.. no pior sentido da palavrita, desqualificada pelo nosso presente... o que nos resta?
talvez... continuar à espera de D. sebastião, o único que foi esperto no meio de tanta desgraça!

maria_arvore disse...

Tens toda a razão quanto ao resultado espelhar o descrédito do regime democrático que este governo conseguiu.
Agora, parece-me que o Sócrates vai daí tirar a ilação de que está bem como o novo salvador da pátria. :( Tanto mais que tem semelhanças com o dito no seu jeito autoritário, na preocupação com a comunicação social e a sua manipulação, tal como Salazar o fez, e ainda no carregar nas contas e no défice para justificar o aperto do cinto para os portugueses.

diefe disse...

Uma vergonha, o estado em que andamos... quem me dera sair disto!

rui disse...

Amigo Erecteu

Sinto o orgulho Nacional, gosto do meu País, mas envergonham-me alguns dirigentes.

Grande abraço compadre

Nanny disse...

Não sei se me enoja mais o poder e os políticos, se este povo que assim elege ditadores... vou ali vomitar e já volto...

Maria disse...

Ingénuo?
Bahhh!

Escreveste o que pensas e o que pensas reflecte o que a gente de bem pensa... [confuso?]

beijinhos

António Melenas disse...

Pois é, esta gajada do poder anda numa de branquear, com jogos aparentemente inócuos, o passado criminoso de quem já tanto mal nos causou, confiado na fraca memória qque os portugueses.
Quanto a deixar o poder por não ser capaz de cumprir um mínimo das promesses eleitorais era preciso que o senhor Sócrates tivesse algum resqúício de vergonha, coisa que ele nem sabe o que é.

------
Gostei do teu comentário sobre os Gatos. Ia-me mijando a rir, com a frase final.

Rafeiro Perfumado disse...

Erecteu, a única coisa que me preocupa é não conseguir ver, dentro do nosso espectro político, alternativa. Dá a ideia de quem quer que vá para o poder imediatamente apodrece!