terça-feira, 6 de março de 2007

a dor de preterir quem amo

= desafiado por la marée haute - vague =
Recordava tempos de infância ali vividos quando as brincadeiras fantasiadas tinham o sabor d’ Os Cinco na Ilha do Tesouro .
Caminhava agora pela praia rumo ao enorme rochedo, a que as gentes da terra chamam A Catedral do Mar, segundo a lenda, A Obra ao Negro sentenciada como castigo por ter pronunciado O Nome da Rosa, filha querida do rei que ali governava.
O uivo do vento e o fragor do mar, não mais são que o lamento e as preces do homem*, A Um Deus Desconhecido, implorando liberdade.




Os Cinco na Ilha do tesouro ", de Enid Blyton; il de Eileen Sopé (Notícias, D.L. 1991)

"A Catedral do Mar", de Ildefonso Falcones (Bertrand)

A obra ao negro”, de Marguerite Yourcenar (PÚBLICO, Colecção Mil Folhas)

"O Nome da Rosa" de Umberto Eco (Público, colecção Mil Folhas)

"A Um Deus Desconhecido ", de: JOHN STEINBECK (DOIS MUNDOS)

Os Cinco na Ilha do tesouro foi o primeiro, não que li, que esse não sei qual foi, mas o que li ao meu primeiro filho, e o que ele primeiro começou a ler, A Catedral do Mar é o último, o que eu estou a ler arrastadamente, por causa da "escrita"; A Obra ao Negro”, e O Nome da Rosa, fazem parte de uma triologia, à qual subtraí O Memorial do Convento,Blimunda e Sete-Sois me perdoem que Saramago tem coração maior que o nome; A Um Deus Desconhecido li-o no final da adolescencia e foi este que ofereci a uma jovem mulher que nunca tinha lido um romance.

*NÃO FOSSE ISTO UM DESAFIO E JAMAIS FARIA ESTE POST PORQUE AQUELES QUE PUS DE LADO FICAM A MORDER-ME, TAL QUAL UANHENGA XITU ("MESTRE" TAMODA) QUE FICA AQUI EM RODAPÉ A REPRESENTA-LOS E BEM PODERIA SER O NOME DO HOMEM, SE SEIS LIVROS ME TIVESSEM PEDIDO

12 comentários:

maria_arvore disse...

:)
Vês como não doeu nada? ...

E, como dizes, o fundamental é a liberdade. :)

rui disse...

Olá Compadre

Tá tudo bem contigo!?
Deixaste em baixo um post, sem direito a comentários!

Mas com cinco titulos de livros conseguiste compor um texto!
Pois. o fundamental é a liberdade, mas também acordar vivo :)))

Abraço compadre

Elipse disse...

liberdade para construir, quando nos sugerem e nos agrada a construção.
Parabéns pelas leituras e pela obra clara ali de baixo.

B. disse...

aiiiii que no outro dia tive um susto... tentei entrar nnos teus blogs e dava erro... pensei que tinhas acabado com eles! uffa

onde tens andado hum? lolll

Bem, hoje li aqui uma história de "encantar" linda como sempre :)
romantico!

aiiiiiii e as histórias dos 5 e dos 7... senti uma saudade quando te referiste a eles! eu adorava! :)

beijo grande

Maria disse...

Os livros, os melhores amigos, amantes, companheiros de viagem...


beijinhos da tua bolachinha

psique disse...

muito bem dizido... lol
boas escolhas

o alquimista disse...

E os desafios quando aceites são para se cumprir...!

Abraço

Nanny disse...

Como estás em maré de desafios... tens mais um lá no meu cantinho! Ooops! Desculpa lá!

Beijoca da gata e tchim-tchim

rui disse...

Olá Erecteu

Vim ver se estava tudo bem.
Deixo um abraço

Erecteu disse...

Maria,
Não doeu tens razão. Acontece que não gosto sair nu de trás da moita.

-----
Rui, Por aqui tudo bem, o tempo é que não abunda.

-----
Elipse,
O mérito não é meu, ainda penso que são os livros que nos escolhem.

-----
Elipse, tenho andado a correr atrás do tempo.

-----
Bolachinha, Os livros são bons amigos. Só os abandonam quando os emprestamos e não os devolvem
Beijinhos

-----
Psique, Mas um pouco aldrabalhado

-----
AL,
Desafio é assim, tem que ser.
Um abraço

-----
Nanny, Sua gata desbocada, se t'apanho...
Lambidelas.

-----

vague disse...

Erecteu, está publicado. depois envio por correio o cheque.

Qto ao Saramago, vinguei a tua traição com o memorial ; )

Abssinto disse...

Adoro Steinbeck.

Ando numa tormenta porque quero começar a ler um livro e nao sei qual dos 548977465 que tenho para ler é que vou escolher!!

abraço