terça-feira, 7 de outubro de 2008

Sim, onde estão?

Interroga, hoje no DN, Mário Soares.
Porventura, nesta batida, estão na porta certa e na forma certa: quietos e vigilantemente pacientes. No momento certo visarão a sua presa com grande probabilidade de não falharem.
Não estamos onde estamos por acaso. Estamos aqui porque um projecto de construção de um estado social foi metido na gaveta por quem podia e mandava, e porque quem o deveria defender, não conseguiu erguê-lo. Uma economia de estado detentora da banca, da energia, dos transportes, dos seguros, da saúde e da educação entendeu por bem privatiza-los ou abri-los à iniciativa privada. Ainda bem que o fizeram porque as empresas estatais serviram mal e muito pior serviram os que dela faziam parte: dos porteiros aos presidentes das administrações. As razões de tão mal serviço são tantas que é melhor, por agora, não ir muito mais longe.
De Aeroporto, onde não sei, pecisamos; de TGV se precisarmos não será imediatamente fundamental, de uma quarta operador de telefones móveis não será necessário para regular o serviço e desregular a sua, actual, actividade concertada, mas está aí!!!
Tudo o que dê lucro, do lixo à água, está na mira tanto dos neo-liberais como da camorra. Em Portugal progredimos em movimento fortemente acelerado para entregar a exploração da água à iniciativa privada, a isto opõe-se um movimento baseado em estruturas afectas ou próximas do PCP, isso mesmo: Partido Comunista Português, papador de criancinhas ao pequeno almoço, o que dá logo para desconfiar e pôr de lado, né?
Bom, os ne-liberais, já a gente sabe onde estão e os socialistas?
Pique para aumentar

2 comentários:

maria_arvore disse...

Mas os socialistas não estão na gaveta ou será que estão a distribuir tachos pelas empresas deste país?... ;)

Às vezes, parece que só não se tenta fazer negócio de vender o sol para retalho porque têm medo de queimar-se. ;)

Erecteu disse...

Maria, agora estão mais compradores de posições em bancos privatisados por eles.