sábado, 23 de agosto de 2008

Poema pequenino *

Contrariamente ao habitual deitou-se cedo e adormeceu logo. Dormiu de seguida para acordar com o sol a despontar, surpreendentemente bem disposto; pronto já está, pensou, sessenta já cá cantam e não custou nada. Desfez a barba de três dias que há anos o acompanhavam, saltou para a banheira e após um duche rápido que culminou a água fria, baldou-se da banheira e dirigiu-se à cozinha chapinhando a tijoleira, com cuidado, não fosse o demo tecê-las. Fez um café forte e dirigiu-se á varanda de trás, sentado na cadeira de lona, fez escorregar o rabo e apoiou os calcanhares no murete. Mirou os pelos do peito, cada vez mais brancos, meteu as mãos entre as pernas e afagou os tomates pensativo; foi afagando, afagando… Sobreveio uma erecção em crescendo, tomou o resto do café de uma assentada, fechou os olhos e continuou o, deliciado, doce afago acariciando o peito até que sentiu o corpo ser percorrido por um agradável tremor; ofegante deixou-se ficar por instantes de olhos fechados com um quase sorriso nos lábios.
Levantou-se rindo, com aquele riso que o persegue deste sempre.


-Parabéns, conta muitos, disse ainda gargalhando.



* a uma amiga que com os seus doces afagos me consegue fazer vir... em palavras; e com esta me devo ir, até para a semana. Bjs.


고마워요 (Thank You) (Duet 배슬기) - 안젤로

2 comentários:

maria_arvore disse...

Que importa em que "entas" estamos e a contabilidade dos brancos se ainda escrevemos e falamos sem ter a sensibilidade embutida como tão poeticamente o demonstraste? :)))

Boas férias que à volta cá te espero. :)
Beijo de até já :)

Erecteu disse...

Pois, quando chegar o dia se verá se há poesia ;) Mas, mais que os entas e os tentas, os brancos e o que restam de pretos, o que sobrevier de poesia será sempre bem vindo.
Bjs, frondosa Maria.