quinta-feira, 17 de abril de 2008

Sou um igénuo é o qu'é.

Parece-me que estamos de acordo, quase, aviados; estamos em via de pôr a cruzinha no desacordo ortográphico e no processo complicado de avaliação de professores. Aproveito o que nos resta desta reta final e para afiambrar, pé cá, pé lá, o presente e o futuro trocando os “pp” pelas acentuações.
E, de acordo falando, s’isso é bom não olvidemos o ótimo, seu inimigo.

Acordo, ortográfico porquê? José Mauro de Vasconcelos, Vinicios ou Amado não me atrapalharam, quando menino e moço; já as legendas do “MGM” me dariam água pela barba se imberbe não fosse, não por ortográficas, mas sim por sintácticas, ou sintaticas, razões, sei lá eu bem com'é.
Entenicam os nossos irmãos d’além mar com “cc e pp” numa ação concertada com a lógica da incomodativa falta de correspondência de fonética com grafia, razão “primêra” anunciada por ilustre operária de letras poéticas, em animado “Pró & Contras”, como se assim a bota batesse com a perdigota!
Não empaniqêmos; não consta que pela antanha revisão ortogrpahica a malta de Orpheu tivesse padecido de dores de cabeça que os fizesse recorrer aos serviços pharmaceuticos ou de qualquer botica do Chiado. Venha lá esse acordo, valeu cara?

E por falar em caras… a cara ministra que nos educa de lés a lés, concede, concerteza a bem da nação, a simplificação do sistema de avaliação, calminha, não se precepitem, concede a simplificação somente por este ano lectivo, pasme-se!
Sim, estou pasmado e desiludido. Sinto-me enganado por todos os lados: Afinal não é verdade que a Sra. D. Ministra é inflexível, ainda que pelas ruas 1000.000 o voltem a clamar; afinal teremos que esperar que,uma parte, da reforma apregoada ministerialmente -e pelas suas indefectiveis correias de transmissão- como o suprassumo da barbatana, afinal será moda Outono/Inverno em vez de Primavera/Verão; verão afinal que o inadiável, o irrecusável, o..., o…, o inevitável aconteceu. Prontos final

Sou um ingénuo. Sou um ingénuo. Sou um ingénuo, repetirei, por tempo ideterminado, ao deitar e ao levantar .
É o qu’lho digo ou o qu’lhão, possivelmente, dizer.

3 comentários:

maria_arvore disse...

Gostam alguns que a maioria seja de ingénuos. ;)

Quando em nome da unificação da ortografia se mantém duas ortografias (embora num nº menor de palavras) e quando a Lurdinhas em vez de suspender a avaliação para discutir o seu formato, só a suspende para alguns.

É tudo a tapar o sol com a peneira.

CC disse...

A ingenuidade é, mesmo quando forjada, fascinante.

Grande abraço.

fresquinha disse...

O teu blog está espectacular. Parabéns !!!!